Leandro de Itaquera

Grupo: Acesso
Fundação: 03 03 1982
Cores: Vermelho e Branco
Presidente: Leandro Alves Martins
Vice presidente: Karin Darling Martins
Carnavalesco: Rodrigo Cadete
Interprete: Viny Machado
Mestre de bateria: Fernando Oliveira (Pelé)
Diretor de carnaval: Edson Prado
Diretor de harmonia: Fabio Flisch
Mestre sala: Paulinho Guedes
Porta bandeira: Karin Darling Martins
Rainha de bateria: Viviane Cristina dos Santos (Vivi)
Endereco: Rua Padre Viegas de Menezes, 66 – Itaquera
Telefone: (11) 2053-5339/ 2057-5456
Telefone: ID: 84*56290 Nextel
História

Presente de aniversário e... só alegria!

No dia 03 de março de 1982, alguém aniversariava num determinado ponto da Zona Leste. Era a filha do Sr. Leandro A . de Lima. A festa estava animada reunindo amigos comuns, todos moradores de um dos bairros mais populosos da cidade de São Paulo. Entre uma conversa e outra, a aniversariante Karin, filha de "seu Leandro", fez um pedido estranho, queria que o pai fundasse uma escola de samba. A idéia surpreendeu alguns convidados, entre eles: Gilson Nunes Vitório, Ênio Justiniano, Florisval, Barnabé, Marilene Martins e outros. Mas teve apoio geral.

A escola organizada foi à Avenida, com muita vontade de vencer, e de lá para cá só trouxe alegria a seus componentes. Logo na estréia, foi campeã da Vaga Aberta em 83. No ano seguinte campeã do grupo IV, e em 85 do grupo III.

Em 1988, a escola demonstrou, com garra na Avenida Tiradentes, que aquele pedido de aniversário tinha razão de ser, conquistando o campeonato do grupo I, e em conseqüência entrando para a elite das escolas de samba de São Paulo, permanecendo até o ano de 95.

Vencida a crise de adolescência, a Escola Leandro de Itaquera, a mais jovem de São Paulo, permanece entre as agremiações históricas do carnaval de São Paulo desde 1997. Obtendo sempre respeitadas classificações, em 2000 ficou em 5º lugar.

A Escola Leandro de Itaquera, que conquistou o 9º lugar em 2001, No Carnaval 2002 homenageando o ex-governador de São Paulo, a Leandro conquistou o 6º lugar com o enredo "Mário Covas - São Paulo, Brasil, Meu Orgulho, Meu Amor".

Ano do enredo: 2017
Título do enredo: “Babalotim, a Historia dos Afoxés”
 
Ano do enredo: 2015
Título do enredo: "Invencível"
 
Ano do enredo: 2014
Título do enredo:
Descrição do enredo:



Ginga...
Dom abençoado pelos deuses.
Molejo único e criativo, inerente ao futebol-arte.
Jeito malandreado de se jogar bola.
Traço artístico e inventivo.
Instinto intransferível, e que só o brasileiro tem.
Fruto da miscigenação.
Do canto das três raças que multicoloriu o Brasil.
Destreza acumulada pela prática da capoeira e pela dança do samba.
Um jogo, de dribles, passes e inovações genuinamente nacionais, capazes de definir o placar em uma só jogada.
Um saber, que afirmou para o mundo o estilo e a identidade brasileira.
Um jeitinho só nosso, o famoso jogo de cintura. Pra jogar bola a gente sempre dá um jeito.
Aqui, qualquer espaço vira campo, qualquer pedra vira trave e qualquer bola serve pra jogar. O amor do brasileiro pelo futebol, é inegável.
De norte a sul é paixão nacional!
Estudiosos no assunto tentam explicar, o que não cabe explicação.
A paixão pelo futebol é um amor puro. Puro no sentido de que nada mais esperamos dele do que a alegria de ganhar um jogo. Ganhando ou perdendo, faça chuva ou faça sol, lá vamos nós onde for preciso. Uma devoção sem fim!
E de onde vem esse sentimento?
É simples responder.
Antes do primeiro passo a gente dá o primeiro chute na barriga da mãe! O fascínio vem desde criança. Quando ainda bebê, ganha a primeira bola. Primeiro tenta pegá-la, mas ela rola.
Depois, bate sobre ela e a bola pula. Resolve apertá-la entre as mãos e, quando menos espera, ela já escapou. A bola é o brinquedo que mais tem história no mundo. É um convite ao movimento.
De tão simples, instiga a curiosidade, e de tão universal, promete interatividade. E assim a brincadeira se basta. Na infância pegamos gosto por este esporte.
É quando escolhemos o nosso time do coração. No Brasil, toda criança sonha em ser jogador de futebol. E vestir a camisa de um time é bem mais que se diferenciar do adversário; simboliza pertencimento. Saudoso Charles Miller!
E lembrar que tudo isso começou quando ele trouxe a primeira bola, vindo da Inglaterra.
Naquele tempo só a elite podia jogar. E não demorou muito pra se distanciar dela.
Em pouco tempo, a ginga negra e mulata encantava os gramados, goleando o tabu do preconceito; mostrando a todos que jogar futebol exige força, coragem, espírito de luta e determinação.
Futebol é raça! É show, espetáculo, onde cada clube tem seu ídolo, e os melhores convocados para a seleção.
É nessa época, que os meios de comunicação começam a exercer uma grande influência no esporte e na vida dos brasileiros.
Com uma seleção de super-heróis, veio a primeira vitória na Copa do Mundo de 58.
O fanatismo pelo esporte e a massificação já era um fato.
A convicção de que o Brasil joga o melhor futebol do mundo toma conta do povo, e perpetua-se entre as futuras gerações.
É o país do futebol! Único presente em todas as Copas... Único, cinco vezes campeão mundial.
Terra do rei Pelé! E, só de pensar que a Copa de 2014 será aqui no Brasil,...o coração dispara.
A contagem regressiva já começou. Faça de sua casa um estádio lotado e de cada vitória uma grande celebração!
Rezas, simpatias, amuletos, ...Saravá! Vale tudo, pra ouvir o grito de gol no ar!
Seremos 200 milhões de técnicos, e com a garra, força e vibração desta torcida, seremos um jogador a mais nesse time.
E Itaquera dá o pontapé inicial, fazendo da paixão ao futebol, o enredo do nosso carnaval !
E não pensem que os apaixonados são alienados.
Nós também exigimos mudança! Por um país mais justo, mais ético e varonil !
Um Brasil campeão!

Carnavalesco - Marco Aurélio Ruffinn

 
Ano do enredo: 2013
Título do enredo: "O leão guerreiro mostra sua força! É a garra e a bravura do negro, no quilombo Leandro de Itaquera"
Descrição do enredo:



Argumento

Até pouco tempo, as pessoas custavam a crer que a África um dia tivesse erguido civilizações. Mas hoje temos consciência que o continente africano foi o berço da raça humana e o palco de algumas das nossas primeiras expressões culturais.

Hoje vivemos numa nação continental, linda por natureza, multicultural e miscigenada onde o encontro de três grandes etnias fez do Brasil um país único. Este encontro entre o índio dono da terra, o branco colonizador e o negro trazido da África para o trabalho, formou a nossa essência brasileira.

Para desfazer uma das grandes lacunas da nossa história, a Leandro de Itaquera traz para o carnaval de 2013 mais um tema que exalta a brasilidade e o orgulho de sermos miscigenados e afros descendestes no sangue e na cultura.

Durante mais de 480 anos da nossa história o negro ora escravo e depois liberto contribuiu para o nosso crescimento como nação e com a força do seu trabalho e sua cultura, hoje tão enraizada no nosso dia a dia: dança, música, arte, religião, culinária, manifestações folclóricas e é claro no nosso jeito de ser, sambista e carnavalesco, esbanjando alegria e calor humano.

É com esta alegria, alegria do samba, do carnaval, do negro, do brasileiro, é que a Leandro de Itaquera tem a honra de trazer para o carnaval de 2013 o enredo: "O LEÃO GUERREIRO MOSTRA SUA FORÇA! É A GARRA E A BRAVURA DO NEGRO NO QUILOMBO DA LEANDRO DE ITAQUERA", e com ele com certeza mostraremos o quão rico e grande é o nosso carnaval, a nossa cultura popular já que nós aqui de Itaquera nos orgulhamos de sermos afros brasileiros.

"... As raízes fincadas em solo estrangeiro
Crescem fortes e guerreiros
Levando adiante a alegria
Que um dia foi um soluçar de dor."

Cesar Moura

Primeiro setor

"Com as bênçãos de Mãe África os tambores da Zona Leste anunciam a chegada do Leão Guerreiro na avenida."

O Leão Guerreiro de Itaquera está despertando para mais uma luta, para mais uma disputa e para mais uma conquista, ele está com sede de vitória.

Os tambores sagrados da Zona Leste ecoam anunciando a chegada da Leandro de Itaquera na avenida que traz consigo e sob as benções de Mãe África, continente berço da existência humana, a garra e a bravura do negro que no Brasil sempre preservou sua cultura.

O Leão Guerreiro da Zona Leste anuncia a chegada da corte negra de Ganga Zumba grande rei da resistência negra no Brasil, formador de um dos maiores quilombos no Brasil: Palmares, uma nação negra dentro do Brasil, rompendo barreiras e resistindo pela força e pela bravura a dura escravidão negra brasileira.

É com a essência e a majestade de Ganga Zumba rei negro dentro do Brasil e com a força do guerreiro Zumbi que a Leandro de Itaquera anuncia o seu carnaval que exaltará a cultura negra e afro brasileira em toda sua maestria e dignidade.

Salve Ganga Zumba, salve Zumbi dos Palmares, salve Mãe África, salve o negro brasileiro e o solo sagrado do Carnaval paulistano.

Axé!!!

"... Negro entoou
Um canto de revolta pelos ares
No Quilombo dos Palmares
Onde se refugiou..."

Trecho de "Canto das Três Raças" - Paulo Cesar Pinheiro

* Pontos importantes:

- África - berço da nossa existência, Os guerreiros africanos, Quilombo dos Palmares - resistência negra,  Ganga zumba - "o grande rei de Palmares", A corte de Ganga zumba no carnaval paulistano, Zumbi - "o grande guerreiro negro", Os tambores da Zona Leste, Itaquera - solo sagrado - resistência negra, O despertar do "Leão Guerreiro".

Segundo setor

"A Força do Negro, que com braço forte construiu o nosso Brasil."

Durante mais de trezentos anos o negro foi trazido da África para trabalhos forçados no Brasil. De lá vieram negros africanos de várias etnias, de várias nações que foram importantes para a nossa formação cultural afro brasileira, onde destacamos os negros da etnia Banto, Iorubá e Jêje.

Esses negros mesmo escravizados nunca deixaram de lado a sua essência cultural e preservaram todos os seus costumes.

Foi através da força do negro no trabalho escravo que tivemos a alvorecer das riquezas do nosso Brasil, no cultivo da cana no Nordeste, na extração do ouro nas Minas Gerais e centro do Brasil e na cultura do café no Sudeste brasileiro.

Sem duvida não seriamos nada sem o braço forte do negro escravo que além do trabalho e da construção da riqueza do nosso país não se rendeu a escravidão preservando suas raízes africanas.

"Era um sonho dantesco... o tombadilho 
Que das luzernas avermelha o brilho.
Em sangue a se banhar.
Tinir de ferros... estalar de açoite... 
Legiões de homens negros como a noite,
Horrendos a dançar..."

Trecho de "Navio Negreiro" - Castro Alves

* Pontos importantes:

- O tráfico negreiro, As nações africanas no Brasil, A nação Banto, A nação Iorubá, A nação Jêje, O negro construindo as riquezas do nosso Brasil, O ciclo do açúcar, O ciclo do ouro, O ciclo do café.

Terceiro setor

"Seja na Religião, nas Artes, na Culinária ou em suas Festas , o Negro mostra a sua cultura, sua alegria e seu valor."

O Negro no Brasil sempre soube e conseguiu resistir e preservar a sua cultura e com a imensa miscigenação cultural temos esta cultura presente hoje fortemente no nosso dia a dia.

O negro resistiu através da sua religião preservando as suas crenças e cultos nos seus deuses onde exaltamos a presença do Candomblé, e todas as suas "nações": Ketu, Jêje, Nagô, Fon, etc., espalhadas e cultuadas por todo o Brasil com milhares de adeptos. O Negro também resistiu com o sincretismo religioso e o surgimento da Umbanda, religião tipicamente brasileira e de origem negra africana, com a mistura de elementos do Candomblé com os seus deuses, da Igreja Católica e seus santos e a religiosidade e doutrina Kardecista.

No Brasil vemos também a resistência da cultura africana enraizada em vários segmentos: na dança, na nossa ginga, na nossa musicalidade, nas várias manifestações folclóricas espalhadas por todo Brasil como: o Maracatu, a Congada, o Maculelê, entre muitas outras, na nossa culinária, nas artes, e sem esquecer é claro no samba e no nosso carnaval, motivo maior de nossa existência.

Com isso somos sem duvidas um país extremamente miscigenado e culturalmente afro brasileiro, sendo a nação mais africana fora da África.

"... Na Minh’alma ficou

O samba

O batuque

O bamboleio

E o desejo de libertação."

Trindade, 1961

* Pontos importantes:

- Resistência religiosa do negro - o candomblé, O sincretismo religioso - a umbanda, Resistência e miscigenação cultural, O negro e as festas populares, A culinária de origem negra, A arte africana no Brasil.

Quarto setor

"A Resistência do Samba e o Quilombo Leandro de Itaquera"

A Leandro de Itaquera em seus 30 anos de história no Carnaval paulistano sempre mostrou muito bem a sua vocação para o desenvolvimento de temas enredos voltados a cultura africana e afro brasileira, e isso não é por acaso, sem duvida hoje a Leandro de Itaquera por sua história e por sua tradição no carnaval representa um ponto de resistência da cultura negra e um ponto de resistência do samba e do carnaval, preservando até hoje as tradições, um verdadeiro "Quilombo do Samba Paulistano".

É neste clima de festa e de comemoração em prol da cultura negra no Brasil que a Leandro de Itaquera "pede passagem" as nossas co-irmãs do samba e mostra nossa história cultural negra no carnaval de São Paulo, relembrando cinco grandes carnavais e cinco grandes momentos da nossa história em defesa do samba e da cultura negra.

Em 1988 a "Vermelho e Branco" da Zona Leste com apenas seis anos de existência mostra a sua força conquistando uma vaga no grupo de elite do carnaval paulistano com o tema enredo: "ELO DA PAZ, O ARCO-ÍRIS DE OXUMARÊ, FESTA NA SENZALA", exaltando a cultura e religiosidade do negro brasileiro e sendo campeã do grupo de acesso daquele ano.

No ano seguinte 1989 a Leandro de Itaquera reforça esta sua conquista num carnaval inesquecível: "BABALOTIM, A HISTÓRIA DOS AFOXÉS", carnaval este que até hoje esta na memória dos sambistas de São Paulo por ser um carnaval marcante, divisor de águas e com seu samba cantado por muitos e considerado um dos melhores sambas de enredo das últimas décadas.

Em 1992 a Leandro traz para a avenida mais um tema afro: "BATUQUE, A FORÇA DE UMA RAÇA", num carnaval memorável e até hoje um hino dentro da nossa comunidade de Itaquera.

Já em 1996 amargando estar novamente no grupo de acesso trás para a passarela do samba o enredo: "300 ANOS DE ZUMBI, A FESTA É NOSSA", dando a volta por cima e num grande campeonato retoma o seu lugar ao grupo especial do Carnaval paulistano.

Em 2008 também no grupo de acesso a Leandro de Itaquera conquista novamente seu lugar entre as grandes escolas de São Paulo com o tema: "AFRO BAHIA, DA REVOLTA DOS MALÊS AO ESPLENDOR DE UM NOVO DIA, A ROMA NEGRA INVADE ITAQUERA NESTE DIA DE ALEGRIA", mais um carnaval memorável exaltando este imenso Brasil de herança africana e de essência afro brasileira.

Para o Carnaval de 2013 reforçaremos mais ainda esta nossa identidade negra no carnaval paulistano, pois acreditamos da cultura do samba, do carnaval e nesta raiz brasileira miscigenada e afro brasileira onde : "O LEÃO GUERREIRO MOSTRA A SUA FORÇA! É A GARRA E A BRAVURA DO NEGRO NO QUILOMBO DA LEANDRO DE ITAQUERA".

Pedimos a benção e o axé de Mãe África, e saudamos o nosso povo, nossa cultura e nosso carnaval. Axé!!!

"... Axé pra quem tem fé, e quem não tem...Axé para você também."

Trecho do samba de enredo de 1989 da Leandro de Itaquera

* Pontos importantes:

- A musicalidade, ritmo e a ginga do negro, O samba como forma de resistência, Escola de Samba - zona da paz, ponto de resistência da cultura negra, Carnavais afros da Leandro de Itaquera, "Elo da Paz - O Arco-íris de Oxumarê, Festa na Senzala", "Babalotim - A História dos Afoxés", "Batuque - A força de uma raça", "300 anos de Zumbi - A festa é nossa", "Afro Bahia - Da revolta dos Malês ao esplendor de um novo dia, a Roma negra invade Itaquera neste dia de alegria", O Leão Guerreiro da zona leste "pede passagem" em homenagem ao samba e suas coirmãs, Leandro de Itaquera - "Quilombo do samba paulistano".

Sinopse escrita e desenvolvida por: Rodrigo Cadete

Montagem Técnica

Primeiro setor: "Com as bênçãos de Mãe África os tambores da Zona Leste anunciam a chegada do Leão Guerreiro na avenida."

- Comissão de Frente: "Os Guerreiros de Zumbi"
- Primeiro Casal de Mestre-Sala / Porta Bandeira (Pavilhão Oficial): "Com as bênçãos de Mãe África"
- Ala 01 (Baianas): "Mãe África, berço da nossa existência"
- Carro Abre-Alas: "O Leão Guerreiro da Zona Leste convoca a corte de Ganga Zumba, nosso grande rei

Segundo setor: "A Força do Negro, que com braço forte construiu o nosso Brasil."

- Ala 02: "A Nação Banto"
- Ala 03 (Bateria): "Com as bênçãos de Xangô, a Nação Iorubá"
- Ala 04: "A Nação Jêje"
- Casal de Mestre-Sala / Porta-Bandeira: "As Riquezas da Terra Brasil"
- Ala 05: "As riquezas do nosso Brasil 1 - Ciclo do Açúcar"
- Ala 06: "As riquezas do nosso Brasil 2 - Ciclo do Ouro"
- Ala 07: "As riquezas do nosso Brasil 3 - Ciclo do Café"
- Carro 02: "A força do Negro e a construção das riquezas do nosso Brasil."

Terceiro setor: "Seja na Religião, nas Artes, na Culinária ou em suas Festas , o Negro mostra a sua cultura, sua alegria e seu valor."

- Ala 08: "O Candomblé e a Religiosidade do Negro"
- Ala 09: "A Umbanda e o Sincretismo Negro"
- Ala 10: "A dança e Musicalidade do Negro"
- Casal de Mestre-Sala / Porta-Bandeira Mirim: "O Rico Folclore Brasileiro"
- Ala 11: "Congadas, Maracatus, Maculelês: As festas de origem negra no Brasil"
- Ala 12: "A Culinária de origem Africana"
- Ala 13: "As Artes Negras no Brasil"
- Carro 03: "O Negro e a Miscigenação Cultural - Orgulho de sermos Afro-Brasileiros."

Quarto setor: "A Resistência do Samba e o Quilombo Leandro de Itaquera"

- Ala 14: "1988 - Elo da Paz, o Arco-íris de Oxumarê, Festa na Senzala"
- Ala 15: "1989 - Babalotim, a História dos Afoxés"
- Ala 16: "1992 - Batuque, a Força de Uma Raça";
- Ala 17: "1996 - 300 anos de Zumbi, a Festa é Nossa"
- Ala 18: "2008 - Afro Bahia, da Revolta dos Malês ao Esplendor de um novo dia, a Roma Negra Invade Itaquera neste Dia de Alegria";
- Casal de Mestre-Sala / Porta Bandeira (Pavilhão de Enredo): "O Quilombo da Leandro de Itaquera";
- Ala 19 (Velha Guarda): "Leandro de Itaquera pede Passagem em Respeito às Tradições"
- Carro 04: "É carnaval e o Negro está em festa, exaltando a tradição e o Quilombo do Samba Paulistano - Leandro de Itaquera."

( Ala das crianças (na quarta alegoria) - "A nossa vermelho branco do amanhã)

Rodrigo Cadete / Fabio Flisch

 
Ano do enredo: 2010
Título do enredo: Sob um manto de amor e paz, sou Leandro de Itaquera desfilando o Vermelho e Branco no meu carnaval.
Descrição do enredo:

Entregue a paixão pelas cores Vermelho e Branco do seu pavilhão, a comunidade da Leandro de Itaquera, vem harmoniosamente apresentar seu mais novo espetáculo de carnaval para o ano de 2010.
Depois de vários meses de pesquisa envolvente iniciada em outubro de 2008, agremiação define o tema para seu próximo carnaval intitulado da seguinte maneira:

"Sob um manto de amor e paz, sou Leandro de Itaquera desfilando o VERMELHO e BRANCO no meu carnaval"

E assim anunciado, tudo vem virando festa e felicidade no coração da nossa comunidade.
Guerreiros e destemidos, vamos a luta com o Vermelho do Amor e o Branco da Paz, carnavalizar tudo o que essas duas cores representam dentro da história da humanidade.

Desenvolvimento do Enredo

Setor 01  As grandes Celebrações em Vermelho e Branco
Setor 02  Símbolo de amor e paz o Vermelho e Branco das religiões
Setor 03  As delirantes e imaginarias viagens pelo Vermelho e Branco
Setor 04  Um Brasil Vermelho e Branco
Setor 05  Dos Ditos populares as paixões em Vermelho e Branco

 

 

Sinopse

Brilhante e forte como o Sol que irradia o nosso dia
Desfilo as minhas cores neste templo da folia
Eu sou um Leão encantado, um príncipe encarnado
e vou com a Majestosa bateria.
Vermelho e Branco são as cores da Alegria

Estendo o tapete e te recebo com emoção
Fecundando no vermelho e celebrando a nossa vida
O meu sangue ferve por você.
Sou Zona Leste, Sou Leandro, a mais querida

Ardente de paixão eu vou
e hoje me embriago nessa sedução de carnaval
A minha guerra é somente a fantasia
Eu vivo em paz, quero alegria
num ano novo Itaquera vem sambar
De branco eu quero é mais brindar
porque a felicidade está no ar

Pecado original que nos levou a tentação
o fruto (maça) que a serpente então lançou em duas mãos
Um mar de desafios para um povo atravessar
Um sonho e a profecia da liberdade encontrar

Em nome da fé, a cor do seu sagrado coração
Olhai meu pai, por toda gente , meus irmãos
Abençoando em suas asas, sob a sua proteção.

Amor.
Sagrado, divino,
Olhai o meu destino
Guiando a fé do seu filho

Paz de Oxalá, venha me encantar
Eu lavo a alma e purifico o meu samba
Chegou Justiceiro Kaô
Filhos de Xangô
Iansã com seu vento soprou

Viagens delirantes com você não abro mão
Voando sob as nuvens procurando emoção
A neve, o frio das terras do gelo
maravilhas deste mundo fez do amor declaração
Ideologia vermelha
Em mim vem despertar
E no Oriente vi o sol iluminar
Crianças e lembranças, leitura e bonança
E o bom velhinho a te presentear

BRASIL, terra abençoada, corante nas matas
que fez virar seu nome com muita exploração
açucar, algodão e borracha
também a branquinha (cachaça)
brotando da riqueza deste chão.

Sabor tropical, delícias da terra
vem pro meu carnaval
Apimentando num tempero especial

Meu carro é vermelho não uso espelho pra me pentear
Nessa ciranda que me deu folia
Sou rosa vermelha, o seu bem querer
Pare um instante, sinal importante
Não marco mais gol pra você.

Quem é que vem sacudindo a multidão?
É Vermelho e Branco
O boi do Povão
Garantido alegria de uma ilha
Que se inicia na noite de São João

Explodindo coração
Chegou Salgueiro, um tambor de paixão
que bate forte e faz a marcação
de um samba que é raiz e pé no chão
Inspirou nas cores do meu pavilhão

Templo do Samba , um trono de bambas
Leandro de Itaquera vai te conquistar
Pois quem não é Leandro tem vontade de Ser

EU SOU VERMELHO E BRANCO
DESFILANDO MINHAS CORES PRA VOCÊ.

Ano: 2017
Título do samba enredo: “Babalotim, a Historia dos Afoxés”
Compositores do samba enredo: Clarice, Thiago Lee, Grupo Relíquia e Sandrinha
Letra:

Ô, ô,ô
Eu vim de longe, cruzei mares, quem diria
Ô, ô, ô
Sou afoxé irradiando  energia

A benção pai Oxalá
Os tambores vão rufar
Hoje é dia de festa
O cortejo vai passar

Olha o padê
Exu é guarda na Avenida
Espanta intrigas
Deixa o povo vadear

Ê poeira, poeira, poeira
vai levantar poeira
Igexá
Banguleando todo o povo se incendeia

Babalotim
Abra os caminhos dessa gente
Que tão contente vem desfilar

Ornadas em louvor
A todos orixás
Num canto que ecoa pelo ar

Chegou
Em forma de afoxé na passarela
Os filhos da leandro de Itaquera
Axé pra quem tem fé, e quem não tem
Axé pra você também

 
Ano: 2015
Título do samba enredo: "Invencível"
Compositores do samba enredo: Rogério, Jorge Balau, Musa, Gilson Negão, Mauro Gordo, Landinho, Moacir e Silvio Velha Guarda
Letra:


No rufar do tambor ôôô
No alvorecer na passarela
Exaltamos em vermelho e branco
Você Mandela
 

África de etnias fascinantes
Ouro e pedras preciosas
Despertaram a ambição
Deuses regentes da vida
Na luta contra a dominação
Iluminado nasce o filho destemido
E por eles protegido sua sina é lutar
Com o peito cheio de esperança
Para a vitória alcançar
 

Axé Madiba Axé
Vem a corte a festejar
Sou Leandro de Itaquera
O meu Pavilhão vai triunfar
 

Resistiu preservando a união
Plantando a paz e o amor
Com o poder da educação
Um grito forte ecoou
Libertem Nelson Mandela
Pra vencer o Apartheid
Abre a jaula e solta a fera
Você foi um líder ícone da paz
Invencível na luta por seus ideais
Meu Leão vem mostrar nesse Carnaval
A luta de um povo guerreiro
Pela igualdade racial

 
Ano: 2014
Compositores do samba enredo: André Ricardo, Beto Varandas, Didi Poeta, Rodolfo Minuetto, Vitor Gabriel e Medonha da Leste
Letra:



Vai na ginga Brasil, joga com o coração
Mostra para o mundo seu talento natural
Um dom abençoado pelos deuses
Revela um toque genial
Fruto de um país miscigenado
Puro sentimento que não tem explicação
Levo a alegria, por onde eu passo
Guerreiro, ousado, malandro de fato
No sol ou na chuva, no campo ou na rua...é emoção!
Desde criança, fiz da bola um brinquedo, uma grande paixão!

Solta o grito da garganta... Olé
Pra frente Brasil, com a bola no pé
E a galera se agita, na palma da mão
Ao som da batucada do leão

Num toque de classe aqui chegou
Charles Miller o esporte consagrou
Tocou para o povo, driblou a nobreza
A felicidade venceu tristeza
E dos Heróis se fez Pelé, a realeza!
Brasil, Penta Campeão
Futebol é emoção, hoje a Copa é aqui!

Chegou a Escola da massa, da gente que canta com raça
Que luta por nosso país!
Na Zona Leste, vermelho e branco é raiz!

Itaquera vai tremer... Eu quero ver
O povo delirar, se arrepiar
O show começa aqui, com muito samba no pé
Sou brasileiro, sou Leandro e tenho fé

 
Ano: 2013
Título do samba enredo: "O leão guerreiro mostra sua força! É a garra e a bravura do negro, no quilombo Leandro de Itaquera"
Compositores do samba enredo: André Ricardo, Didi Poeta, Vitor Gabriel, Rodrigo Minuetto, Rodolfo Minuetto, Victor Muniz e Kleber
Letra:


ÔÔÔ.. ecoa o rufar do meu tambor
Com as bençãos da Mãe África
O meu leão guerreiro a desfilar
Vem de Ganga Zumba a realeza
Poder e riqueza, negra valentia
Xango é rei, a sua energia nos guia
E assim... com sangue e suor, lutou
Negro Banto, Jêje, Nagô
Com braço forte construiu
As riquezas do Brasil

Tem batuque, abre o xirê, axé
Devoção, umbanda e candomblé
Vem sambar, festejar
Levanta poeira
Cultura afro brasileira

O tempo me fez resistência do samba
Herança da cor, berço de bambas
Um arco-íris de felicidade,
Oxumarê, a divindade
Laroiê...Babalotim abra os caminhos dessa gente
Eu sou a força de um batuque diferente
Pra luta de Zumbi eternizar
A negritude está em festa
Da Roma negra um novo amanhecer  
Tá no sangue e não tem jeito
Quem é bate no peito
Vermelho e branco até morrer

O meu pavilhão é garra
O quilombo de Itaquera chegou
Leandro é raça, é comunidade, meu amor!

 
Ano: 2010
Título do samba enredo: Sob um manto de amor e paz, sou Leandro de Itaquera desfilando o Vermelho e Branco no meu carnaval.
Compositores do samba enredo: Turko/Jorginho/Maraká/Pinheiro/Medonha/Carioca/Ferracini/Xixxa/Limozine/Xandinho/ André/Juba/Didi/Diego/Nel/Terra/Dado/Nenê/Zé Carlos/JB
Letra:

Vermelho e Branco, meu manto, meu amor

Uma paixão que corre na veia

Hoje a Leandro que nos inspira

A cair nessa folia

 

Vem desfilar, se apaixonar

Extravasar de alegria

Agora é o nosso momento

Vou dar o sangue se preciso for

Meu samba celebra a vida com muito amor

Brindar Reveillon, no Carnaval

Vou nesse mar, em alto astral

Na fé...eu busco a proteção, sagrado coração

Vem nos abençoar, a paz eternizar

 

Kaô meu pai Kaô...Kaô meu pai Xangô

Eparrei Oyá, Xeu Epa Babá...Oxalá

 

É de arrepiar, o frio que bate, nos faz viajar

Lá no Oriente, o sol nascente a brilhar

No templo do amor, a sedução

Da doce infância, a recordação

Lembranças guardadas com emoção...

Brasil! Que DEUS abençoou, Pau-Brasil! Que o homem explorou

Da cana ao sabor da cachaça, a pureza do algodão

A riqueza da borracha, apimentando essa paixão

Pare e sinta! nossa melodia...é garantido a sua energia

Pode aplaudir a majestosa bateria

O caldeirão do samba vai ferver
Leão Guerreiro vai te enlouquecer
Comunidade Geral. A Zona Leste faz seu carnaval!

Notícias
 
Mais resultados para busca por: Leandro de Itaquera
0
SOSAMBA.COM.BR | COPYRIGHT © 2010 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS