Unidos de Santa Barbara

Grupo: Grupo 1
Fundação: 17 11 1988
Cores: Branco, Preto, Vermelho e Azul
Presidente: Cássia Lima
Carnavalesco: Anderson Paulino
Interprete: André Ricardo
Mestre de bateria: Comissão De Bateria ( Jeferson, Teta, Tanga, Rafael, Lucas, Picola e Joice )
Diretor de carnaval: Cassia Lima
Diretor de harmonia: Rui Bezerra
Mestre sala: Welson Roberto
Porta bandeira: Walesca Alves
Rainha de bateria: Pitty
Endereco: Rua José Cardoso Pimentel, 1B - Itaim Paulista
Telefone: (11)7721-4388
Telefone: (11) 2566-4461
História

A Escola de Samba nasceu do Bloco Carnavalesco Unidos de Santa Bárbara, que foi fundado em 17/11/1988, entre os cultos de fé da tenda de candomblé da Mãe Helena, uma mulher guerreira nascida em Recife, que veio pra São Paulo ainda moça e por fazer parte de um bloco em sua cidade natal como porta estandarte, chegou aqui na terra da garoa carregando um sonho de montar um bloco carnavalesco, era um dia de festa em comemoração ao seu aniversário, em sua tenda no Parque Veredas, aonde estavam seus filhos espirituais e amigos todos reunidos. Quando ela, Mãe Helena falou de seu sonho, na mesma hora todos toparam, partindo daí unidos pela fé e apaixonados pelo samba, fundaram um bloco de carnaval com objetivos culturais e sociais em prol á comunidade da região localizada no Jardim Nélia no bairro do Itaim Paulista.

     Diversas pessoas participaram fortalecendo a idéia inclusive o presidente Nel Costa, que ajudou a realizar o sonho da Mãe Helena em formar uma entidade carnavalesca. O nome Santa Bárbara saiu da tenda de candomblé da Mãe Helena chamada de casa de caridade Santa Bárbara, por isso então o bloco Unidos de Santa Bárbara. A história do Itaim Paulista nos rumos das artes jamais seria a mesma. Foram diversos desfiles até em 1991, quando passaram por um momento difícil em que a entidade quase se desativou por motivos de força maior. Mas em 1995 retomaram as atividades filiando-se à UESP (União das Escolas de Samba Paulistanas), o bloco voltou com raça cresceu muito, ganhou títulos, consagrou a comunidade campeã dos blocos por 4 vezes, e alguns 2° (segundos) e 3° (terceiros) lugares no longo desses 19 anos.

Ano do enredo: 2014
Título do enredo: Minha jangada vai sair pro mar, vou festejar o centenário de Dorival Caymmi - Alodê Yemanjá, Oyá
 
Ano do enredo: 2013
Título do enredo: “Gentileza gera gentileza - o samba gera gentileza e a gentileza dá samba”
Descrição do enredo:


Abrindo portas e as janelas para uma vida mais feliz e para um novo sonho de Carnaval o Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Unidos de Santa Bárbara vem apresentar para o desfile de carnaval de 2013 o enredo "BEM VINDOS AO REINO DA GENTILEZA".

A agremiação localizada no mais extremo bairro da zona leste de São Paulo estreia em seu maior desafio de conquista para ocupar um considerado espaço entre as melhores escolas de samba da cidade de São Paulo.

O Reino da Gentileza vem de uma ideia de visitar-se descobrindo as possibilidades de ser mais feliz com a simplicidade de bons e nobres gestos, fazendo outras pessoas mais completas e alegres, assim como agir por um planeta muito melhor, mais limpo respeitado e sustentável assim como o que nos foi dado por Deus.

Ao nos observarmos gentis, nos refletimos num espelho onde cada ser denuncia ou se comove, se compara entre o que  pode fazer para uma vida social melhor ou o que não consegue fazer para um convívio num mundo melhor. Onde moram os limites da delicadeza?  Onde superar-se? Onde encontrar um simples gesto para a felicidade?

Acumulando tantas perguntas como as citadas, renasce um novo ser, compartilhando o BEM, espalhando alegria, colhendo a mais bela flor da Gentileza; o ato de doar-se.

A comunidade do Itaim Paulista, fiel ao seu destino, com temas nunca vazios, se entrega na visita deste reino de magia que existe em todo ser.

Nossa Deusa rainha dos raios e das tempestades anuncia através da inspiração e baseados nas sábias palavras de um profeta (PROFETA GENTILEZA) que volta como num sonho a Terra para relembrar-nos; GENTILEZA GERA GENTILEZA.

Um homem que viveu no Rio de Janeiro, mas que viajou o Brasil todo pregando palavras de Gentileza se dizendo enviado de São José em nome de Jesus Cristo, José Datrino, abandonou família e patrimônio para praticar o bem através de suas palavras além de pintar um livro urbano que deixou nas pilastras do Viaduto do Caju, logo na chegada da cidade maravilhosa. Após abandonar a família depois de um ato de desespero onde se limpou com barro e lama no quintal ele soltou todos os pássaros que obtinha em gaiolas, num ato simbólico de liberdade Datrino se transformaria em José Agradecido ou Gentileza como era mais popularmente chamado pelas ruas.

Depois de uma tragédia num circo em Niterói nos anos 60 onde mais de 500 pessoas morreram, o profeta se instalou no local de tanto sofrimento para solidarizar-se e consolar as famílias das vítimas distribuindo flores, palavras de conforto e até mesmo plantando um jardim.

Daí por diante, viveu distribuindo gestos e flores com seu estandarte na mão, assim como representante de um BLOCO DO BEM. O circo reside no céu, mas as palavras de GENTILEZA vive na terra, mais precisamente nas pilastras preenchidas de sabedoria.

Rodeados pela rotina que nos cega e pressionados por ideias equivocadas onde o TER aparece mais importante do que o SER, cumprindo prazos sem nos respeitarmos, sucumbindo pelas ilusões de modernidade, percebe-se o quanto temos nos afastado de nós próprios e esquecido a nossa capacidade de agir com o coração e de valorizar tudo aquilo que realmente nos preenche e nos faz sentirmos felizes e plenos, nos tornando robôs reféns do tempo num mundo de indelicadezas.

Pesquisas mundiais afirmam que a depressão e a ansiedade podem ser a segunda maior causa de improdutividade até 2020. Sufocados pela ambição, na luta contra um tempo que a cada dia passa mais e mais rápido, esquecemos gestos simples como um abraço, um beijo no rosto, palavras positivas, seja num BOM DIA, BOA NOITE, OBRIGADO, POR FAVOR, ATÉ LOGO e até mesmo um EU TE AMO.

No reino da gentileza as palavras positivas passeiam entre jardins floridos, um sol irradiante ou lua prateada amparada com as mais cintilantes estrelas.

Fartura é sempre posta a mesa no reino da Gentileza. Seja em casas simples do mais longínquo vilarejo ou nos mais nobres e iluminados castelos. Servir bem ao amigo visitante com um copo d’água ou num mais deslumbrante banquete, são rotinas comuns neste reino de generosidade. Mora na arte de receber, a mais nobre qualidade que reside neste reino em preto vermelho azul e branco.

Ser gentil é totalmente benéfico quando se entende que a gentileza, muda o rumo dos conflitos, facilita negociações, transforma humores e melhora relações.

Presenteados pela estrela guia (a dos reis magos) que nos envia a um tempo onde um grande Rei (Jesus Cristo) viveu e que tantas palavras sábias de afeto e tolerância nos deixou através de seus sermões, suas ações que não discriminavam, acolhiam, aceitava todo o ser como irmão independente de qualquer religião, ou diferença, abastece-nos com o mais alto apelo pela gentileza até os dias de hoje. A GENTILEZA DE DEUS.

Surgia um homem, que seria a maior referencia do BEM para a história da mundial.

Virtude que pertence a família do amor,é também a chave que abre as portas do sucesso porque não há coração mais empedernido que a gentileza não consiga desarmar, nem situação mais desfavorável que a gentileza não consiga reverter.

Se as trevas insistem em invadir o Reino da Gentileza com seus pássaros sombrios, com a sua sujeira mórbida, poluindo a vida, corrompendo valores, com violência e desamor; a consciência do bem determina a dosagem de tolerância o contra  mundo da maldade.

Sem dar chances ao mundo da maldade logo a vida se recicla. As praças são coloridas, as ruas vivem limpas e o lixo é reciclado para um bem comum da população, a água é tratada com soberania, a poluição do ar perde o espaço em nossa respiração, as pragas e os homens de mal desaparecem assim como as cinzas de um carnaval (trecho do samba - AS FORÇAS DA NATUREZA - Paulo Cesar Pinheiro).

A natureza vive mais feliz, sem medo da destruição, sem extinção dos seres, sem caça predatória, sem desmatar a nossa flora, sem poluir os nossos mares. A GENTILEZA GERA A NATUREZA, que se regenera, se replanta das mãos ingênuas de crianças revivendo perfeita e absoluta como o paraíso entregue pelo PAI CRIADOR.

Nas grandes aglomerações e ruas movimentadas o transito é mais gentil. As pessoas trafegam em faixas respeitadas sem ter medo de andar na rua porque a rua é o seu quintal. Todo mundo tem direito a vida, todo mundo tem direito igual.

As diferenças são fundamentais no Reino da Gentileza. Os mais velhos são preservados, veneredos como livros de alto conteúdo de sabedoria. Os mais jovens sabem ouvir aos mais sábios e louvam aos seus professores. A pessoa gentil tem paciência no ouvir as pessoas, mesmo aquelas que a conversa parece não trazer nada de útil. O poder das palavras são aliados ao bom senso e a disposição de proporcionar momentos de felicidade e boas reflexões. Sabedorias milenares, ou quem sabe orientais, se confundem entre galanteios e ações verbais. No Reino da Gentileza elogiar não é constrangedor.

Doando quando for preciso, Gentileza se faz um lema de salvação e colaboração  salvando vidas e aquecendo corações. No gesto das doações de sangue e de órgãos. Uma delicada forma de gentileza.

A tecnologia é útil para a comunicação gentil das pessoas em redes sociais que compartilham sorrisos, amizades e amores, curtindo imagens e lembranças de bons tempos vibrantes de pura emoção.

Semelhanças à parte, o Reino da Gentileza surpreende mesmo pelo ato de gratidão ao próximo.

Sambistas que somos de um bairro de gente simples, herdeiros, filhos do Candomblé de Mãe Helena, mulher guerreira que chegou aqui nos anos 60 para fazer história. Trabalhava, criava seus filhos, seus filhos de fé e servia aos mais carentes e necessitados da região sem esperar nada em troca. Fundou um bloco carnavalesco e mais tarde uma escola de samba UNIDOS DE SANTA BÁRBARA que juntamente aos seus amigos, familiares e integrantes apaixonados, vem alcançando sob o manto das profecias de suas entidades espirituais, as mais altas conquistas.

Agradecemos ao nosso povo que ergue arduamente a força sagrada do nosso pavilhão, aos nossos fundadores, nosso Presidente Nel Costa,  aos nossos colaboradores e aos fãs de todo o Brasil. Agradecemos perfumadamente com flores a Dama da Noite, protetora espiritual e ao Seu Canindé - Rei das matas virgens do nosso reino do povo do Santo de Mãe Helena.

Agradecemos a cada vitória, a cada parceiro, a cada lágrima derramada por um objetivo conjunto comum ou especial. Sem a nossa gente, nosso carnaval jamais existiria.

Neste templo de sambistas, GENTILEZA GERA GRATIDÃO.

NO REINO DA GENTILEZA QUE MORA DENTRO DE CADA UM DE NÓS SERES HUMANOS, CADA UM ESCOLHE E DESCOBRE SEUS NOBRES  E SUBLIMES CAMINHOS DE UM ABSOLUTO REINAR DA BONDADE. 

SEJA GENTIL COM O SEU REINO, SEJA GENTIL COM A SUA VIDA, COM O SEU PRÓXIMO. A FAMÍLIA UNIDOS DE SANTA BÁRBARA AGRADECE.

GENTILEZA GERA GENTILEZA!

Autor  e diretor geral de arte - Anderson Paulino

Ano: 2014
Título do samba enredo: Minha jangada vai sair pro mar, vou festejar o centenário de Dorival Caymmi - Alodê Yemanjá, Oyá
Compositores do samba enredo: Edu Melodia, Luizinho Mendes, Edson Pires, Rodrigo Daw, Luciano Rosa
Letra:


Minha jangada vai sair pro mar
Os ventos vão me guiar
Viajar nessa magia
Poesias de Caymmi sem igual
Acordes com seu violão, Bahia suas tradições
Tem toada no sertão,
De Itapuã lendas do Abaeté
Navegantes, procissão de Oxalá
Com histórias pra "cantar", rumo ao Rio de Janeiro
Brilhou no rádio e cinema com Carmem Miranda
E o que é que a baiana tem?
Devoção e muita fé do jangadeiro
Nas águas de Iemanjá

Alodê odoiá minha sereia
Abençoai o pescador na lua cheia
Que clareia a terra e o mar
A tempestade do samba vai brilhar

Morena Rosa, Marina, musas divinas, o poeta cantou
Acalanto em meu viver, Maricotinha eu vou com você
Cravo e canela o sabor de Gabriela
Em Copacabana, Dora do frevo e do maracatu
Ele é coroa de xangô, kaô
Oxum mais linda do meu gantois
Gênio nas telas, dom divinal, belas melodias
Teu centenário é pra comemorar
Com vatapá e muito axé

A minha escola é comunidade
Amor sem limites, um raro prazer
Sou Santa Bárbara
No samba me criei eparrey!

 
Ano: 2013
Título do samba enredo: “Gentileza gera gentileza - o samba gera gentileza e a gentileza dá samba”
Compositores do samba enredo: Edson Pires, Toninho Oliveira, Pericles Ornellas e Chico Maneiro
Letra:


Vem pra salvar!!! E a mente curar
Amor palavra que liberta
Ela tem o poder de mudar
De purificar a alma e nos ensinar a viver
Seguindo os passos do criador
No jardim da vida, feliz eu vou
Ver você sorrir, quando te dou uma flor
Boa noite pra nossa alegria
A tempestade do samba chegou

A luz das estrelas vem avisar
O divino rei nasceu
Presente do céu
Que o nosso Pai nos concebeu

No caminho do bem, Itaim Paulista
Floresce também, preservando a natureza
Respeitando as diferenças, diga não à violência
Direito e paz essencial
Sonhar e acreditar...num mundo melhor
Nos respeitar, valorizar, sabedoria milenar
Compatilhar, lindo gesto de salvação
Doar o sangue pela minha escola do coração
É proteção, é fé, seu Canindê
Gratidão ao pavilhão
Perfumando a multidão, nesta noite especial
Um novo sonho de carnaval

Sou Santa Bárbara vou te emocionar
De branços abertos, louco pra te amar
Um nobre sorriso de rara beleza
Sejam bem vindos ao reino da gentileza

SOSAMBA.COM.BR | COPYRIGHT © 2010 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS